Várzea Grande (MT), 18 de abril de 2024 - 21:20

Politica

APONTA CAOS 27/03/2024 08:37 HNT / Camila Ribeiro

Vereador protocola no Ministério Público pedido de 2ª intervenção na Saúde de Cuiabá

Dr. Luiz Fernando denunciou falta de pagamentos a médicos, empresas, cirurgias atrasadas e nepotismo cruzado

O vereador por Cuiabá, Dr. Luiz Fernando (União Brasil), protocolou no Ministério Público (MPMT) um pedido para que Secretaria Municipal de Saúde (SMS) passe por nova intervenção do governo de Mato Grosso. Luiz Fernando denunciou a falta de pagamentos a médicos do Hospital Municipal de Cuiabá (HMC), falta de pagamentos a empresas, cirurgias atrasadas e nepotismo cruzado. Segundo o vereador, recebem apenas fornecedores ligados direta ou indiretamente ao prefeito Emanuel Pinheiro (MDB) e o HMC é um "hospital de fachada". 

Atualmente, o HMC tem cerca de 400 leitos e é uma unidade de saúde referência na Baixada Cuiabana, que deveria comportar atendimentos de ortopedia e neurocirurgia. No entanto, as consultas e demais procedimentos das especialidades estão parcialmente interrompidos. 

"É uma falta de gestão que é típica do Emanuel Pinheiro que retomou a Saúde de Cuiabá, mas infelizmente tem deixado claros sinais de incompetência de compromisso com o dinheiro público. A ortopedia está chegando há quatro meses sem atender, a neuro vem trabalhando há mais de 6 meses sem receber. São especialidades que dependem de órteses e próteses, stent, parafuso e as empresas estão sem receber", disse Luiz Fernando nesta terça-feira (26).

A situação se instalou no HMC com o rompimento dos contratos de prestação de serviço e fornecimentos de materiais da MedTrauma. O vereador destacou que um dia após o cancelamento, a Sintec foi contratada, empresa que, de acordo com Luiz Fernando, é "apadrinhada" por Emanuel Pinheiro. 

"Eles continuam favorecendo empresas ligadas de forma direta ou indireta a gestão. Temos indícios e provas claras. O HMC gasta mais de R$ 15 mihões por mês, só o hospital, e ele acumula um déficit de quase R$ 15 milhões. Hoje, recebem os apadrinhos. Se tiver uma ligação com a gestão, recebe", afirmou o vereador. 

Outro agravante exposto por Luiz Fernando é o nepotismo cruzado entre o diretor administrativo e financeiro da Empresa Cuiabana de Saúde Pública (Limpurb), Giovane Koch, e sua esposa que também atua no staff financeiro de Emanuel Pinheiro, mas na Secretaria de Saúde. Os setores estão interligados e cuidam mutuamente das licitações e demais contratos de hospitais, policlínicas e postos de saúde de Cuiabá.

"Detectamos ainda ontem que hoje os principais cargos, um deles que é o repsonsável pela financças, o senhor Giovane, nomeado em 6 de janeiro, e a esposa foi nomeada no dia 19 para assumir as finanças da Saúde. Isso é um nepotismo que se não for direto é um nepotismo cruzado e precisamos investigar", encerrou. 

OUTRO LADO

Procurada pela reportagem, a Prefeitura de Cuiabá disse que se manifestará depois.


Plantão

(65) 99288-0115